O que é?

Tipologia consiste no estudo das características do território, por meio de indicadores e dados geobiofísicos que, relacionados aos temas e desafios do Observatório, visa possibilitar a localização e contextualização dos estudos de caso e soluções associadas. A construção de tipologias considera a diversidade do meio urbano para contextualizar as soluções identificadas às realidades locais.

O recorte espacial utilizado inicialmente para a construção das tipologias é o de cidade-região, que tem por objetivo trazer uma visão sistêmica do território, considerando que o metabolismo urbano ultrapassa os limites politico-administrativos pré-estabelecidos e que os desafios em sustentabilidade são comuns a um grupo de municípios. A cidade-região é, portanto, na sua definição conceitual, um conjunto de municípios que se caracterizam pela conurbação de metrópoles, cujos processos de urbanização se dão a partir de fluxos de pessoas e de serviços e das suas lógicas de produção.

Objetivo e frentes de ação

O objetivo de identificar as tipologias de cidades-regiões relacionadas aos desafios da sustentabilidade urbana consiste em disponibilizar soluções adaptadas ao território nacional, colaborando com os gestores locais na implementação de soluções efetivas e na elaboração de políticas públicas mais assertivas que considerem a diversidade do País.

Para alcançar tal objetivo estamos atuando em três frentes de ação:

Sistema de indicadores

  • Levantamento de indicadores relacionados aos desafios das cidades rumo à sustentabilidade nos temas explorados no Observatório: energia, mobilidade, ambiente construído, saneamento e soluções baseadas na natureza;
  • Alinhamento dos indicadores com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS;
  • Construção de paineis para visualização de informações de forma estratégica, com gráficos e mapas relacionados, para apoiar os tomadores de decisão.
  • Tipologias de cidades-regiões

  • Construção de banco de dados e indicadores sociodemográficos e geobiofísicos (Ex.: temperatura, uso e cobertura do solo, áreas suscetíveis a inundação e deslizamento);
  • Desenvolvimento de metodologias de categorização das informações socioeconômicas e geobiofísicas para caracterizar os diferentes arranjos de cidades-regiões de acordo com os temas do Observatório;
  • Integração das soluções mapeadas pelo Observatório com as distintas tipologias de cidades-regiões.
  • Sistema de Informação Geográfica – SIG Web

     

    • Sistemas de informação que utilizam o território como variável de análise para a gestão estratégica do território e integração de dados sociodemográficos e geobiofísicos;
    • Consultas dinâmicas ao banco de indicadores e soluções, que, associados às características do território, possibilitarão ao usuário diferentes formas de interação com os resultados disponíveis;
    • Uso de grade estatística para representar a informação, aumentando o potencial analítico dos dados, permitindo a integração de dados de origens diversas e sua agregação em unidades geográficas compatíveis, sem variação ao longo do tempo.