Artigo Estudos de Caso

São Paulo troca metal por plástico para evitar roubos de bueiros

Metodologia

Brasil

São Paulo(SP)

No meio-fio, no meio da rua, no alto dos postes, onde aparecem, elas caem na mira dos ladrões. É só escurecer para as tampas de galerias de água, as placas de trânsito e até as grades de espaços públicos desaparecerem. Todo mês 500 tampas de bueiros são levadas em São Paulo. Um prejuízo de R$ 1,2 milhão por ano.

Custo para Implementação

Informação não disponível

o meio-fio, no meio da rua, no alto dos postes, onde aparecem, elas caem na mira dos ladrões. É só escurecer para as tampas de galerias de água, as placas de trânsito e até as grades de espaços públicos desaparecerem. Todo mês 500 tampas de bueiros são levadas em São Paulo. Um prejuízo de R$ 1,2 milhão por ano.

Contexto

As grelhas protegem as entradas das galerias de água. Aos poucos as grelhas de plástico estão aparecendo pela cidade. No Vale do Anhangabaú, o coração de São Paulo, já se encontra uma. Já existe uma, mas não é pela diferença, ela é muito parecida com uma grelha de ferro. A diferença é a durabilidade. Esta deve ficar neste lugar por pelo menos 20 anos. Não tem valor de mercado e portanto não deve ser roubada. “Sempre que a tecnologia pode, é o melhor meio, o mais eficaz para se combater a bandidagem. Ela muda o padrão. Aquele padrão cultural de furtar coisas de aço passa a não existir”, comenta o engenheiro Domingos Alberto Miranda. Levar placas de aço também é comum em outras capitais do país. Em Brasília, os funcionários repõem tampas de bueiros e bocas-de-lobo, mas logo muitas desaparecem. Nos últimos três anos foram gastos quase R$ 300 mil.