Artigo Estudos de Caso

Mobilidade ativa em Niterói (RJ) - Programa Niterói de Bicicleta

Metodologia

Mobilidade

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável

Brasil

Rio de Janeiro(RJ)

Metodologia

Seguindo a metodologia elaborada pela associação Transporte Ativo, o Plano Cicloviário Participativo de Niterói foi desenvolvido através de um intenso processo colaborativo, com oficinas em diversas regiões da cidade. Nestas oficinas, foram sobrepostas as principais rotas utilizadas e desejadas pelos ciclistas, e indicados os pontos de demanda por infraestrutura complementar tais como bicicletários e paraciclos. O Projeto Básico Cicloviário de Niterói foi desenvolvido entre 2014 e 2015 com o objetivo de revisar e detalhar a malha cicloviária proposta no Plano Cicloviário Participativo. Como base para este detalhamento, e para projetos futuros relacionamos à mobilidade por bicicleta, desenvolveu‐se o Manual para elaboração de infraestrutura cicloviária em Niterói, documento que define critérios técnicos para o planejamento e a execução da malha cicloviária da cidade. Nesta etapa, a sociedade civil teve também papel importante na tomada de decisões, legitimando assim o projeto proposto. Visando consolidar os projetos de infraestrutura cicloviária elaborados pelo Programa Niterói de Bicicleta, o Plano de Mobilidade Urbana Sustentável de Niterói e a revisão do Plano Diretor do município incorporaram estes projetos nas suas diretrizes báscias.

Implementação

  • Prefeitura de Niterói

    Governamental (de cima para baixo)

O Decreto Nº 11.358/2013 define um Grupo de Trabalho para o Programa. Assim, a governança se dá de forma integrada entre diferentes secretarias municipais. Entre elas estão a Secretaria Municipal de Urbanismo e Mobilidade; a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade; a Secretaria Municipal de Serviços Públicos, Trânsito e Transportes; a Secretaria Municipal de Educação, entre outras.

Podemos dizer que, de uma forma geral, toda a população de Niterói é beneficiada com a iniciativa, direta ou indiretamente. Por exemplo, estudo da Prefeitura constatou que a instalação do Bicletário Arariboia e a expansão da malha cicloviária, com a construção da ciclovia na Av. Marquês de Paraná, aumentou o fluxo de ciclistas. Na Av. Amaral Peixoto, o número diário de ciclistas quadruplicou entre os anos de 2015 e 2019.

Fatores de Sucesso

Sociais

A pauta da mobilidade ativa beneficia a todos, ciclistas ou não, à medida que promove conquistas desejáveis como a melhora da qualidade do ar, a redução de congestionamento e um espaço urbano mais seguro e amigável. A bicicleta é também uma ferramenta de inclusão socioespacial por se tratar de um transporte barato e que amplia as condições de acesso à cidade.

Ambientais

A descarbonização do transporte, promovida com o aumento do uso de bicicletas, reduz a poluição do ar e a poluição sonora, evita a emissão de gases de efeito estufa e diminui a quantidade de resíduos e rejeitos resultantes do intenso consumo de automóveis motorizados.

Econômicos

Podemos citar como fatores econômicos a redução das externalidades ambientais negativas citadas acima, tais como poluição do ar, sonora e geração de resíduos e rejeitos.